O grande otário

Ler na área do assinante

Só assim podemos qualificar a pessoa do pastor Gilmar Olarte – o grande otário - uma figura inexpressiva, patética e extremamente maléfica para a sociedade.

Em 2012, graças a popularidade do advogado e radialista Alcides Bernal, foi eleito vice-prefeito de Campo Grande (MS).

Cooptado, orientado e manipulado por figuras nefastas, justamente aquelas combatidas na campanha política, Olarte assumiu o cargo de prefeito de Campo Grande, após a fraudulenta cassação do prefeito.

Mau caráter e pouco inteligente transformou o Paço Municipal numa ‘casa de prostituição e orgia’.

Hoje, preso, com a bela mulher também presa e sendo assediada por outras presidiárias, reluta em delatar os seus comparsas.

É sua única chance de abrandar a sua pena e livrar a esposa das garras sedentas de outras detentas.

Demonstrando sua bestialidade, obedeceu ordens dos mesmos que financiaram o golpe, e renunciou ao cargo de vice-prefeito, achando que com isto o seu processo fosse descer para a primeira instância.

Perdeu novamente. O desembargador Bonassini, responsável pelo decreto de sua prisão, abraçou o processo e vai julgar o caso. Fatalmente será condenado.

A foto que ilustra a matéria mostra o mequetrefe engolindo um marmitex no presídio onde está recolhido preventivamente, uma situação que deverá se estender por longos e longos anos.

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação
Ler comentários e comentar