Sem foro, processo de Dilma é engavetado. Sem foro, processo de Cunha segue para Curitiba

A ex-presidente Dilma Rousseff e seus ex-ministros perderam definitivamente a prerrogativa de foro privilegiado no dia 31 de agosto.


Lá se vão duas semanas e o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ainda não remeteu seus processos para o juiz Sérgio Moro na Justiça Federal do Paraná.

No entanto, Eduardo Cunha teve o mandato cassado no início da madrugada desta terça-feira, dia 13 de setembro, e nesta quarta-feira, dia 14 de setembro, o ‘ministro-companheiro’ já despachou o destino do ex-presidente da Câmara dos Deputados para as mãos da República de Curitiba.

A pipa do vovô voa para um lado só! 

Mancinismo puro!

Helder Caldeira

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça