Nova estratégia petista é investir contra o servidor público concursado

A estratégia do PT não é apenas atacar seus algozes, os procuradores do Ministério Público em Curitiba. Os petistas - e não apenas eles, mas boa parte dos nauseabundos caciques políticos do Brasil, de todas as legendas — foram flagrados com a boca na botija, atuando num gigantesco e multibilionário esquema de corrupção em praticamente todas as instituições da República.


A verdadeira estratégia do PT é responsabilizar o funcionalismo público, nas três esferas dos Três Poderes, como uma espécie de grande organização onde todos estão habituados a roubar, fraudar, enganar, locupletar, etc. Daí, vão tentar colar a máxima de que as estruturas dos governos Lula e Dilma apenas seguiram a onda, como num vício. É a velha história: ‘Se todo mundo fazia antes, por que só agora é crime?’

Lembre-se: foi exatamente isso que fez o então presidente Lula quando Roberto Jefferson entregou o Mensalão e o caixa dois em 2005. Numa entrevista fajuta, direto de um castelo na França, concedida à suposta jornalista que nunca mais apareceu, Lula chorou, disse que não havia provas, que fora enganado e, ao final, veio com a teoria do ‘todo mundo sempre fez isso’.

O alvo da estratégia petista agora são os funcionários públicos concursados, hoje chamados de ‘analfabetos políticos’. Basta conferir o discurso do ‘maestro’, aplaudidíssimo pela súcia de celerados vermelhos.

Por fim, faço questão de destacar: os funcionários públicos brasileiros sempre foram majoritariamente defensores do PT, das esquerdas e desse modelo sindical de gestão. Agora, serão eutanasiados pelo partido, tal como Dilma fez com o labrador Nego.

Espero que aprendam a lição.

Helder Caldeira

da Redação

Comentários

Mais em Política