Gilmar destrói Lewandowski. E como fica o STF?

As declarações desta segunda-feira (19), do presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, sobre a decisão do ministro Ricardo Lewandowski de fatiar a votação do impeachment de Dilma Rousseff no Senado, caem como uma bomba na Corte Suprema do país e ameaçam a harmonia e o andamento normal dos trabalhos do Poder Judiciário brasileiro


Mendes, literalmente, reduziu Lewandowski a ‘zero’, acusando o ex-presidente do STF de participação em ‘manobras’ políticas.

‘Considero essa decisão constrangedora, é verdadeiramente vergonhosa’, asseverou. 

‘Cada um faz com sua biografia o que quiser, mas não deveria envolver o Supremo nesse tipo de prática’, disparou Gilmar Mendes.

Assessores do STF consideram que diante do tom empregado por Mendes, a situação entre os dois ministros ficou ‘inconciliável’.

Noutras palavras, Lewandowski está sendo acusado de conivência e conchavo no patrocínio de uma situação absolutamente inconstitucional, num momento em que estava no Senado justamente para defender a Constituição.

A briga promete!

da Redação 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça