Documentos revelam que Lula, no exercício da presidência, atuou por construtoras no exterior. E agora?

Ex-presidente e seu colega Kirchner fizeram intervenção decidida pela Odebrecht

As empresas brasileiras de construção civil tiveram um grande crescimento em sua atuação no exterior nos últimos dez anos. Graças ao financiamento público do BNDES e a ação do governo Lula, empresas como a OAS Ltda., Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Odebrecht tiveram um crescimento de 544% em sua atuação na América Latina e na África.

O então presidente Lula e seu colega argentino Nestor Kirchner fizeram "uma intervenção decidida" para ajudar a empreiteira Odebrecht a se associar a uma firma argentina com vistas à construção de uma hidrelétrica no Equador.

A informação consta em telegramas de embaixadas brasileiras e do Itamaraty entre 2003 e 2010, material que expõe a ação do governo brasileiro em benefício de empresas brasileiras como forma de ampliar a influência do país.

São 2.136 páginas de telegramas reservados que foram reclassificados e divulgados nesta terça (16), após requerimento da revista "Época".

Documentos revelados pela Folha Transparência mostram também, como o Itamaraty intercedeu em favor da Odebrecht e da Andrade Gutierrez na construção de hidrelétricas na Venezuela e na Colômbia. As negociações empenhadas pelos embaixadores foram classificadas como promoção comercial.

Outros documentos divulgados nesta terça pelo Itamaraty indicam atuação para negócios de empresas na Argélia.

Sem dúvida um serviço de consultoria especializado e institucionalizado.

da Redação

Comentários