No escárnio do submundo da propina, Palocci era tratado como ‘chefe’ por Marcelo Odebrecht

Um espetáculo ‘pirotécnico’ de malandragem e de desrespeito foi proporcionado pelas estrelas mais reluzentes do universo petista e por empresários que ganharam bilhões de dólares em detrimento do sofrimento do cidadão brasileiro.


O ex-ministro Antonio Palocci e o Partido dos Trabalhadores tinham uma conta corrente de propinas com a Construtora Odebrecht.

O homem de confiança de Lula e Dilma era identificado pelo codinome ‘italiano’.

Além disso, na relação pessoal entre Palocci e Marcelo Odebrecht, o bilionário presidente da Construtora Odebrecht tratava o ex-ministro como ‘chefe’.

Uma demonstração irrefutável do laço escuso existente entre o PT e a empreiteira, que com a prisão de Palocci, atinge o núcleo de poder do partido e aproxima-se do ‘chefão’.

Abaixo, a integra de uma repugnante mensagem de Marcelo Odebrecht para Antonio Palocci:

Chefe,

Não consegui lhe ver 6ª na recepção pós diplomação.

A [sic] algum tempo conversamos sobre o momento/oportunidade de um reforço na área de E&P (Estrela).

Acho que a oportunidade chegou. Trata-se de uma grande concorrência (aprox. US$ 1,3 bi) para o mercado de projetos subsea (equipamentos e instalações embaixo da lâmina d’água), que tende a crescer exponencialmente no pré-sal. Este mercado é totalmente dominado por estrangeiras, e nós estamos a ponto de colocar um pé nele. Se perdemos esta oportunidade, as novas serão cada vez mais complicadas.

Peço que avalie o texto em anexo e qualquer dúvida nos falamos. Estou em Salvador nesta semana, mas posso sem problemas ir para SP ou BSB caso necessário, pois acho importante uma ação/recomendação urgente.

Um outro tema: não sei se você conhece Luis Navarro, Secretário Executivo da CGU. A pessoa dele comandou de forma efetiva a CGU, e penso que isso é reconhecido dentro e fora do órgão. Acho que vale a pena você recebê-lo para avaliar como ele poderia se ajustar em espaços no novo governo. É um excelente quadro.

Forte abraço e Obrigado

Marcelo

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política