Sombra, o oitavo cadáver do caso Celso Daniel

É bizarro! No dia seguinte à prisão de Antonio Palocci, o famigerado Sérgio Sombra morreu em São Paulo. É a oitava morte de alguém envolvido no assassinato do prefeito Celso Daniel, em 2002. Vejamos...

→ Dionísio Severo, o sequestrador: assassinado (Abr/2002);

→ Sérgio "Orelha", o cúmplice: assassinado (Nov/2002);

→ Antônio Palácio, o garçom: assassinado (Fev/2003);

→ Paulo Henrique Brito, a testemunha: assassinado (Mar/2003);

→ Otávio Mercier, o investigador: assassinado (Jul/2003);

→ Iran Rédua, o agente funerário: assassinado (Nov/2004);

→ Carlos Printes, o legista: encontrado morto (Out/2005).

Vale destacar: em agosto de 2010, Eliana Vendramini, promotora do Ministério Público de São Paulo responsável pelas investigações do assassinato de Celso Daniel, sofreu um grave acidente automobilístico após ser perseguida numa via expressa paulistana por um veículo, atingida na lateral e jogada para fora da pista, capotando.

Agora, é Sérgio Sombra quem desaparece do mapa.

Celso Daniel é o cadáver insepulto mais perigoso da história da República.

É quase uma novela do Silvio de Abreu!

Helder Caldeira

da Redação

Comentários