Crime em Goiás não foi político (veja o vídeo)

Não foi um crime político. Não houve nenhuma estratégia.


Um homem atormentado, insatisfeito com a sua própria vida, resolveu se suicidar de maneira ‘marcante’, matando o candidato a prefeito de Itumbiara (GO) que não era o de sua preferência e atirando em quem mais estivesse por perto, até que ele próprio fosse morto, conforme houvera planejado.

É a tese ventilada entre pessoas que conheciam o atirador.

‘Todo mundo achou que vinha pegar na mão, mostrou um papel para o Zé (José Gomes, o candidato). De repente, ele sacou a pistola e começou a atirar a esmo. Graças a Deus que um segurança da responsabilidade da vice-governadoria estava presente e matou o cara’, contou o deputado Jovair Arantes, que estava no veículo alvo do ataque.

Que esse crime, absurdo e lamentável, sirva de alerta para demonstrar o estado de intolerância e desespero que tem rondado pessoas até então tida como normais e insuspeitas.

Gilberto Ferreira do Amaral, o atirador, funcionário público municipal, uma pessoa até então considerada idônea, sem nada que desabonasse sua conduta na sociedade.

Um caso traumático. A sociedade precisa refletir.

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Sociedade