Pesquisas do Ibope e Datafolha erraram em todo o Brasil (veja quadro com a comparação dos números)

As eleições municipais foram decisivas para o povo brasileiro verificar a eficiência e a credibilidade dos dois principais — e mais caros — institutos de pesquisa do país: Ibope e Datafolha. Ou melhor, a fragilidade dos dados e a falta de credibilidade!


Cuidadosamente, reuni neste post comparativos entre as mais recentes pesquisas desses institutos, registradas nos devidos TREs e divulgadas pela imprensa, e os resultados oficiais divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Comparei os resultados em 10 capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Curitiba, Belém, Cuiabá e Goiânia. Em todas há pesquisas Ibope registradas na Justiça Eleitoral. Nas cinco últimas, não há registros do Datafolha.

Há casos bizarros, como Curitiba e Porto Alegre, onde as pesquisas são completamente distantes do resultado apurado nas urnas; e há cidades onde a divergência de resultados está mergulhada na famigerada e absurda ‘margem de erro’, que variava entre 3% e 4% para mais ou para menos.

Além, é claro, do caso de João Dória em São Paulo, que um dia antes da eleição aparecia na pesquisa Ibope com míseros 35% e no Datafolha com 44%, mas acabou passando a régua no primeiro turno com mais de 53% dos votos paulistanos. É grande a discrepância, ainda que os institutos argumentem que Doria estava ‘em viés de alta nas últimas semanas’.

Nunca é demais lembrar que pesquisas eleitorais são utilizadas não apenas a título de informação pelos veículos de comunicação. Primordialmente, como em qualquer lugar do mundo, são instrumentos de convencimento, seja dos eleitores, seja dos financiadores das campanhas.

Se tais pesquisas não têm credibilidade, mas são amplamente divulgadas com ‘nível de confiança de 95%’, coloca-se em xeque o elemento básico de uma democracia: o voto.

Observem os dados e tirem suas próprias conclusões!

Uma extraordinária semana a todas(os)! 

Helder Caldeira

São Paulo

Rio de Janeiro

Recife

Belo Horizonte

Fortaleza

Porto Alegre

Curitiba

Belém

Cuiabá

Goiânia

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política