A importância do ‘espetáculo midiático’ dos procuradores da Lava Jato

Por quatro votos a zero os ministros da 2ª turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram manter as investigações sobre o recebimento de propina pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o juiz Sérgio Moro.


O resultado no STF foi unânime.

Vejamos a composição desta 2ª turma do STF: Gilmar Mendes, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Teori Zavascki.

Os três últimos foram indicados para a Corte pelos governos do PT.

Nos últimos dias, pelo menos duas decisões desses ministros foram absurdamente ilegais, visando favorecer petistas.

Toffoli, eterno advogado do partido, soltou Paulo Bernardo e Lewandowski, num tragicômico espetáculo, violentou a Constituição e fatiou o impeachment para favorecer Dilma Rousseff e evitar a perda de seus direitos políticos.

Assim, fica claro o motivo do espetáculo midiático proporcionado pelos procuradores da força tarefa da Operação Lava Jato.

Pressionar os ministros, para não dar brecha para novas ilegalidades.

Amanda Acosta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça