Em resposta à Folha, Sérgio Moro destrói articulista

Na última terça-feira (11), um dos membros do Conselho Editorial da Folha de S.Paulo decidiu publicar um artigo-pelego, repleto de malabarismos retóricos para atacar frontalmente o juiz federal Sérgio Moro, chegando ao ponto de sugerir violência contra o magistrado de Curitiba. "Cuidado Moro, o destino dos moralistas fanáticos é a fogueira", alertava o texto.


Rogério Cezar de Cerqueira Leite, professor emérito da Unicamp, é daqueles que, contrariando todos os fatos e provas, ainda acha que o passista de quadrilha Luiz Inácio da Silva — vulgo "Lula" — é apenas um sujeito perseguido por ter saído da pobreza e alcançado o poder. "A corrupção é quase que apenas um pretexto", escreveu o professor.

A corrupção é apenas um pretexto? I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-L!

"Essa convicção tem como consequência inexorável o postulado de que o plebeu que chega a status sociais elevados é um usurpador. Lula é um usurpador e, portanto, precisa ser caçado. O PT no poder está usurpando o legítimo poder da aristocracia", conclui Cerqueira Leite.(veja aqui o artigo completo

A resposta de Sérgio Moro veio nesta quarta-feira (12). Em poucas linhas, o juiz federal devastou o membro do Conselho Editorial da Folha de S.Paulo. Escreveu Moro:

"Lamentável que um respeitado jornal como a Folha conceda espaço para a publicação de artigo como o 'Desvendando Moro', e mais ainda surpreendente que o autor do artigo seja membro do Conselho Editorial da publicação. Sem qualquer base empírica, o autor desfila estereótipos e rancor contra os trabalhos judiciais na assim denominada Operação Lava Jato, realizando equiparações inapropriadas com fanático religioso e chegando a sugerir atos de violência contra o ora magistrado. A essa altura, salvo por cegueira ideológica, parece claro que o objeto dos processos em curso consiste em crimes de corrupção e não de opinião. Embora críticas a qualquer autoridade pública sejam bem-vindas e ainda que seja importante manter um ambiente pluralista, a publicação de opiniões panfletárias-partidárias e que veiculam somente preconceito e rancor, sem qualquer base factual, deveriam ser evitadas, ainda mais por jornais com a tradição e a história da Folha." (veja aqui a publicação na Folha). 

Que mico, Folha de S.Paulo! Mico forte!

Helder Caldeira

da Redação

Comentários

Mais em Variedades