Promotores querem indenização de R$ 600 mil da ‘Folha’ por danos morais

A matéria veiculada na Folha de S. Paulo definiu o trabalho do MP da seguinte forma: ‘A acusação é um lixo’. Quanto aos promotores, assim se referiu: ‘Não são promotores, são três patetas’. E complementou: “Deram um ‘tiro no pé’: vão ajudar o ex-presidente Lula com essa acusação tão simplória”.


Diante disso os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo, autores de uma denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Justiça de São Paulo, relacionada ao triplex de Guarujá, entraram com uma ação indenizatória por danos morais contra a Folha de S. Paulo e cobram a bagatela de R$ 600 mil pelos danos morais que alegam terem sofrido.

O cerne da questão, justamente onde se baseiam os promotores para pleitear os ‘danos morais’ é que o jornalista autor da matéria atribui as agressões como se fossem a opinião de ‘professores de direito e especialistas da área’, sem, no entanto, nominá-los.

Os autores da ação entendem tais imputações como ‘ofensas’ e não ‘críticas’ e que a matéria imputou essas tais ‘ofensas’ a terceiros, provavelmente inexistentes, apenas com o fito de denegrir a imagem dos promotores, além de submetê-los a humilhação a ridicularização.

‘A crítica é tolerável, a ofensa não, especialmente quando há uma tentativa de desqualificação profissional’, alegam os autores da ação.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça