Chegou a hora dos tesoureiros: Paulo Ferreira entra na fila de delação

Ler na área do assinante

A derrocada é generalizada e PT e petistas entraram definitivamente no esquema do ‘salve-se quem puder’.

Conforme o Jornal da Cidade Online havia previsto em julho (veja aqui), o ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, o último a ser preso, que não tem efetivamente o mesmo queixo duro (e miolo mole) de João Vaccari Neto, vai fazer delação premiada.

Segundo noticiou o site 'O Antagonista', Paulinho já manteve conversação com o procurador Andrey Borges, está negociando e promete novas revelações.

O ex-tesoureiro vai mirar inúmeros petistas com foro privilegiado e que ainda estão intactos.

Paulinho, entre suas façanhas no submundo petista da propina, participou do esquema com empréstimos consignados que teria desviado mais de R$ 100 milhões do Ministério do Planejamento. 

Ele foi o sucessor de Delúbio Soares na tesouraria do PT e antecessor de João Vaccari Neto. Ocupou o cargo entre 2005 e 2010. É casado com a ex-ministra Teresa Campelo.

da Redação

da Redação
Ler comentários e comentar