Toffoli na agenda de Bumlai. Sempre, Toffoli!

Uma agenda apreendida pela Polícia Federal, pertencente a Maurício Bumlai, continha o nome de quadros importantes do PT e do ministro do STF Dias Toffoli.


No relatório da PF, especificamente com relação a tal agenda, um agente escreveu que 'a família Bumlai, em razão dos contatos encontrados, detinha uma influência política muito grande durante o período em que o Partido dos Trabalhadores (PT) estava no poder' e, ainda, que 'a influência não era somente em agentes políticos da Administração Pública, mas também na Suprema Corte, na pessoa do Ministro Tofffoli'.

Prudentemente, o juiz Sérgio Moro mandou que a Polícia Federal retirasse o nome do ministro do relatório.

‘A simples menção a nomes e/ou fatos contidos nesse relatório, por si só, não significa o envolvimento, direto ou indireto, dos citados em eventuais delitos objeto da investigação em curso’, esclareceu o magistrado.

Agiu corretamente o juiz. Moro tem que tomar todos os cuidados jurídicos necessários. Todavia, não é o nosso caso. Cabe a imprensa a análise.

E é de fato intrigante, logo o nome de Dias Toffoli na agenda de Bumlai. Mas, não surpreende ninguém. Essa é a verdade.

Toffoli é justamente aquele ministro que durante muito tempo advogou para o PT. Penso que não advoga mais...

Entretanto, invariavelmente toma decisões absolutamente lamentáveis, que demonstram uma absoluta incapacidade de agir como magistrado.

Recentemente, de maneira inusitada, deu a liberdade a Paulo Bernardo.

De outro lado, a esposa do ministro, dona Roberta, como advogada, recebeu dinheiro das empreiteiras Queiróz Galvão e Andrade Gutierrez, empresas envolvidas no ‘Petrolão’ (veja aqui). 

Também foi Toffoli que libertou empreiteiros presos, logo na sua primeira decisão, assim que assumiu como ministro membro da 2ª turma do STF, justamente a turma que vai julgar a maioria dos processos da Lava Jato e para onde o ministro foi transferido a pedido.

Portanto, é compreensível e acertada a decisão do juiz Sérgio Moro, mas de qualquer forma o nome de Toffoli na agenda de Bumlai é de causar profunda estranheza.

Gonçalo Mendes Neto

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça