Sob pressão, Temer volta a se manifestar sobre prisão de Lula

O presidente Michel Temer, após sua insana declaração sobre uma eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, voltou a se manifestar, tentando corrigir o que havia dito em entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura.


‘O que se fala muito hoje é que o Lula pode ser preso pelo Moro de forma temporária ou preventiva. Na entrevista, entendi que a pergunta era sobre isso. Respondi: se ele for processado, isso deve seguir com muita naturalidade. Agora, se ele for preso — eu quis dizer neste momento —, isso cria problema para o governo, porque alguns movimentos sociais que fazem objeção ao meu governo vão sair às ruas. Hoje, depois de seis meses, está passando um pouco aquela onda do ‘Fora, Temer’. Só agora está começando a passar. Se prender o Lula, o que vai acontecer? Essa foi a minha resposta, com muita franqueza: vai criar problema, instabilidade. Mas, evidentemente, se lá para a frente houver uma condenação judicial e Lula for detido em função dessa condenação, acabou’.

Deu uma pequena melhorada, mas não o suficiente.

Se Moro, ou qualquer um dos outros juízes que estão com processos em que Lula está envolvido com prática de corrupção, decretar a prisão, temporária ou preventiva, do petista, o governo tem a obrigação de garantir a estabilidade.

Perguntado se ele receberia com naturalidade a prisão de Lula depois da segunda instância, Temer respondeu:

‘Claro que sim. Convenhamos, sendo da área jurídica eu jamais me atreveria a dizer que alguém condenado não pode ser preso. Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar. Nem poderia’.

Temer deveria saber, sendo ele da área jurídica, que também não pode impedir, objetar ou atrapalhar a efetivação de uma prisão temporária ou preventiva.

Simples assim...

da Redação

Fonte: Uol

da Redação

Comentários

Mais em Política