A conclusão mais dolorida é de que houve chance de se evitar o acidente

O acidente aéreo envolvendo a equipe da Chapecoense em Medellin, na Colômbia, tinha todas as possibilidades de ter sido evitado. É a conclusão que se chega após a revelação do conteúdo dos áudios da torre de controle do aeroporto de Medellin.


O piloto insistiu para pousar, mas foi impedido. Durante 11 minutos, Miguel Quiroga, o comandante do Avro RJ85, relatou a falta de combustível e pediu o pouso. Foram vários pedidos, todos negados pela torre de controle.

A negativa deu-se em função de um outro avião, um Airbus da empresa ‘Viva Colômbia’, ter tido a opção de preferência, sob alegação de emergência.

Por diversas vezes Quiroga insistiu, mas não adiantou. Nas gravações, nota-se o desespero do piloto.

Finalmente, quando foi dada autorização para que a aeronave que conduzia o time brasileiro efetuasse a aproximação para pouso, era tarde.

A queda ocorreu à 1h15 no local denominado Cerro El Gordo.

Segundo especialistas, caso a ordem para pouso tivesse sido efetuada até o terceiro minuto da gravação, a aeronave teria conseguido pousar.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Variedades