Lula bancou campanha política em outros países com dinheiro de ‘propina’, diz Odebrecht

A primeira revelação surpreendente da delação premiada de executivos da Odebrecht, é que Lula transformou suas relações promíscuas em torno da ‘propina’, em coisa internacional, ultrapassando fronteiras.


A brasileira Vanda Pignato, petista e então primeira dama de El Salvador, conseguiu intermediar em 2008, a liberação de R$ 5,3 milhões para a campanha de Mauricio Funes, na época seu marido, pagos pela Odebrecht, com dinheiro ilícito, proveniente do 'Petrolão'.

A grana serviu para remunerar o famoso ‘Feira’, nome utilizado para João Santana nas planilhas da empreiteira, que foi o marqueteiro da campanha vitoriosa em El Salvado.

A autorização para a estripulia com dinheiro do povo brasileiro, foi dada pelo próprio Lula.

Documento apreendido pela PF, com discriminação de repasses a ‘Feira’, elucida a delação: ‘Evento El Salvador via Feira 5.300’. 

Lula foi um dos principais apoiadores de Funes durante a campanha presidencial em El Salvador. Emprestou na época o seu notório prestígio e o nosso polpudo dinheiro.

Na posse, em 2009, Lula foi citado por Funes como ‘exemplo a ser seguido’.

Funes deixou o governo em 2014 e buscou asilo na Nicarágua alegando ‘perseguição política’. Ele está sendo investigado por corrupção, peculato, tráfico de influência e enriquecimento ilícito, durante seu período à frente do Executivo do país.

Seguiu perfeitamente o exemplo do amigo brasileiro.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política