Em novo embate processual, Moro da ‘aula de direito’ em defensores de Lula

Em mais um embate com os defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o juiz federal Sérgio Moro, deu uma verdadeira e humilhante aula de direito nos advogados José Roberto Batochio, Cristiano Martins Zanin e Roberto Teixeira.


Os advogados de Lula pretendiam que o juiz Sérgio Moro considerasse os procuradores da força tarefa da Lava Jato, suspeitos para denunciar o líder petista.

Na visão de Batochio, Zanin e Teixeira, os procuradores demonstraram falta de parcialidade, ao demonstrarem claramente exagero e desrespeito, em função das adjetivações atribuídas ao ex-presidente.

Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon afirmaram que Lula seria o chefe de todo o esquema criminoso descoberto na Petrobras.

Ao decidir sobre o pedido, Moro ‘lecionou’ que ‘o Ministério Público é parte, então dele não se espera propriamente imparcialidade’.

‘Ainda assim, por sua vinculação à lei e por ter por objetivo promover não interesse próprio, mas o interesse da sociedade em Juízo, é uma parte sui generis. Não pode o representante do Ministério Público agir, por exemplo, na promoção de algum interesse pessoal, por rancor ou por favorecimento’, arrematou brilhantemente o juiz.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Direito e Justiça