Adriana Ancelmo viajava com frequência ao exterior para investir a propina

A moça de origem humilde, criada num velho prédio de Copacabana, que às duras penas conseguiu concluir o curso de direito na PUC (veja aqui), obteve uma fantástica mudança de padrão, após o casamento com Sérgio Cabral Filho, especialmente após a posse do marido como governador.

De acordo com o Ministério Público Federal Adriana Ancelmo viajou 67 vezes para o exterior durante o período em que o marido governava o Estado do Rio de Janeiro (2007 - 2014).  

Em média, Adriana fazia viagens internacionais a cada um mês e 20 dias. 

Adriana, segundo depoimento de uma das secretárias do escritório ‘Ancelmo Advocacia’ recebia semanalmente a bagatela de 300 mil reais em propina, em dinheiro vivo.

Na avaliação do MP é provável que em tais viagens, a ex-primeira dama utilizava para investir esse dinheiro, em contas bancárias e em imóveis em outros países.

Em face dessa possibilidade, extremamente plausível, as investigações serão intensificadas, buscando a identificação de contas em paraísos fiscais e imóveis.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Política