Deputado e médico ‘confundido’ com ‘picolezeiro’, processa rede social e ‘ganha’ R$ 490 mil

O deputado federal Geraldo Resende (PSDB-MS), foi candidato a prefeito da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul no último pleito eleitoral.


Médico, durante a campanha, por iniciativa própria ele posou para foto conduzindo um ‘carrinho de picolé’, uma coisa bem demagógica, tentando passar a imagem de quem teria tido uma infância pobre e trabalhado como ‘picolezeiro’ para ajudar na renda mensal da família.

Adversários políticos, espertos e criativos, utilizaram a imagem do deputado carregando o carrinho de picolé e criaram no Facebook a página ‘Geraldo Resende vendendo picolé em várias partes da cidade’.



Estranhamente, Resende, ofendido, entrou com ação requerendo a retirada da tal página da rede social.

O pedido foi acatado, pois considerou que a página ‘extrapola os limites da liberdade de expressão’.

A juíza prolatora da decisão, Daniela Vieira Tardin, determinou que o Facebook retirasse a página do ar em 24 horas e estipulou multa diária de R$ 10 mil para caso de descumprimento.

A decisão não foi cumprida.

Diante disso, a juíza condenou o Facebook a pagar o valor de R$ 490 mil ao ‘ex-picolezeiro’.

Certamente o Facebook irá recorrer, pois a decisão é esdruxula.

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Foco MS