Em patética coletiva, polícia entra em contradição e reforça tese de queima de arquivo em caso Bueno

A coletiva convocada pela Polícia Civil de MS para apresentar os supostos assassinos do ex-vereador Alceu Bueno parece ter sido uma lamentável encenação.


O delegado do caso Edilson dos Santos Silva foi medíocre em suas explicações. Totalmente inseguro, entrou em diversas contradições e não convenceu ninguém, não obstante quase a totalidade da imprensa de Campo Grande, descomprometida com a verdade, ter divulgado que o crime está esclarecido.

O que se viu na coletiva foi a polícia tentando esconder fatos, criar situações, negar o óbvio e de maneira açodada dar o caso como encerrado.

Fica claro que uma operação abafa foi montada para proteger poderosos.

Amanhã (31) o Jornal da Cidade vai divulgar reportagem completa sobre o assunto, com o áudio completo da coletiva, para a análise dos leitores.

Uma vergonha!

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Foco MS