A ‘dolce vita’ de Sérgio Cabral Filho

Sérgio Cabral seguiu fielmente os passos de seu amigo e mestre Luiz Inácio Lula da Silva. Muito dinheiro e muitas viagens, conhecendo o mundo afora por conta do erário. Boa vida, bons hotéis e boas bebidas.


Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, mesmo sem a possibilidade de identificação de todas as viagens de Sérgio Cabral, durante o período de em que esteve à frente do governo do Rio de Janeiro, ele ficou, pelo menos, 343 dias no exterior, gastando nababescamente o dinheiro público e, possivelmente, cuidando de efetuar as aplicações do dinheiro recebido em propina.

Durante os sete anos e alguns meses de poder, foram 71 viagens para fora do país, uma média de 10 viagens por ano. A esposa de Cabral, por sua vez, fez outras 43 viagens ao exterior sozinha, sem o marido. Tudo devidamente pago pelo povo do Rio de Janeiro.

Estranhamente, após o fim do mandato, quando não poderiam mais viajar às expensas do poder público, os deslocamentos para o exterior do casal Sérgio e Adriana, diminuíram sensivelmente. Desde abril de 2014 até o dia em que foram alvos das Operações Calicute e Lava Jato, em novembro de 2016, foram apenas sete viagens do ex-governador. Adriana viajou mais, sempre ‘a negócios’.

A farra acabou!

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Variedades