Perverso, Cabral lavava dinheiro até em restaurante de comida japonesa

Somas milionárias foram depositadas por Michelle Tomaz Pinto, secretária de Adriana Ancelmo, nas contas de sócios e funcionários da rede de restaurantes japoneses Manekineko.


Paralelamente, a empresa, notadamente nos anos de 2014 e 2015, efetuou transferências milionárias, supostamente a título de honorários advocatícios, para o escritório Ancelmo & Ancelmo, da ex-primeira dama.

Pronto! O dinheiro estava ‘lavado’ e disponível para o casal Sérgio Cabral e Adriana gastar ou investir no que bem entendesse.

É esta a conclusão de um relatório do Coaf, que já detectou que esta prática era usualmente adotada pelo casal.

Somente o ‘Manekineko’ transferiu a bagatela de R$ 3,3 milhões para a conta de Adriana. Um valor absolutamente incompatível com as demandas jurídicas da empresa.

da Redação

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política