O crime sai do presídio e vai para as ruas

Nesta quarta-feira (18) em pleno janeiro, mês de praia, as ruas de Natal (RN) ficaram vazias.


O povo amedrontado e um saldo negativo de dezessete ônibus e um carro do governo do Rio Grande do Norte queimados.

A crise do sistema prisional tomou às ruas. Dois prédios de delegacias de polícia também foram atacados.

Tentando acabar com a rebelião no presídio de Alçacruz, onde 26 detentos foram mortos, o governo do Rio Grande do Norte iniciou a transferência de presos, após a entrada do Batalhão de Choque na cadeia.

Desta forma, 220 detentos apontados como membros da facção Sindicato do Crime estão sendo levados para o presídio estadual de Parnamirim.

Os ataques foram ordenados justamente pelo Sindicato do Crime, insatisfeito com a transferência de seus membros.

Assim, andar de ônibus em Natal passou a ser um risco e não se sabe ainda em que condições os ônibus irão continuar circulando na cidade.

A disputa entre facções saiu do presídio e atingiu às ruas, destruindo patrimônio público e particular e colocando em situação de absoluto perigo toda a sociedade.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Variedades