‘Bolo’ de fumaça é sério indício de sabotagem

O erro do ministro foi ‘planejar’ a sua viagem. Inúmeras pessoas tinham conhecimento de que no dia 19 de janeiro de 2017, Teori Zavascki iria para Paraty a bordo de uma aeronave modelo King Air Hawker Beechcraft C 90, que iria decolar às 13 horas do Campo de Marte, em São Paulo.


Na lista de passageiros, confeccionada previamente, estava lá o nome: Teori Albino Zavascki.

O barqueiro Célio Araújo, que testemunhou a queda do avião, descreveu detalhadamente o momento do acidente: “Vi o avião baixando cada vez mais e avisei: ‘Ele vai cair’. De repente ele soltou um bolo de fumaça branca, parecia a esquadrilha da fumaça. Passou por cima de nós, depois foi perdendo altitude, veio rodando pela direita, bateu com a asa direita na água e capotou”, disse.

A expressão ‘bolo de fumaça’ é importantíssima. É um forte indício de que pode ter havido sabotagem.

Por outro lado, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a documentação da aeronave estava regular, com validade até abril de 2022, e a inspeção da manutenção válida até abril de 2017.

Mataram Teori para impedir ou procrastinar a homologação da delação do fim do mundo.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Variedades