Espírito Santo é o reflexo de uma população desarmada e indefesa

Li muitas análises e analogias sobre os últimos fatos no Espírito Santo.


Exercícios inúteis de sociologia, essa disciplina tão afeita a simplificações idiotas.

Só um fato é evidente no Espírito Santo, nos últimos dias e sempre: uma população desarmada é refém, por dependência absoluta, das poucas armas dos poucos agentes de Estado para ter um mínimo de ordem.

E quando essas armas se fazem presentes, a situação não é muito melhor.

O crime manda, compensa, exibe suas muitas armas, nas mãos de seus muitos e impunes agentes.

Por que impedir quem trabalha e quer ordem de se defender?

Aurelio Schommer

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Opinião