Desfaçatez tentou transformar o velório num evento político

Esse assunto continua rendendo, notadamente com relação às ofensas à médica Gabriela Munhoz. Algo lamentável e extremamente desumano.


Crucificada injustamente, Gabriela foi massacrada pela militância petista, agredida, xingada e demitida de seu emprego.

De acordo com o já fartamente demonstrado, a médica não vazou nenhum exame, conforme foi acusada de maneira leviana e indecente.

Mesmo assim, não há trégua. Os petistas entendem que ganham dividendos políticos remoendo o assunto e demonizando a médica.

Nesta terça-feira (14) foi a vez do próprio ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrar em cena.

Na coluna de Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, a jornalista, que mais parece uma porta voz do petismo, asinalou que Lula não foi a favor da demissão de Gabriela.

Quando você pensa que finalmente encontrou uma atitude altruísta no ex-presidente, vem a ‘alfinetada’:

‘Segundo interlocutores do presidente, ele defendeu que ela passasse por um curso de ética profissional, permanecendo no emprego’.

Uma lástima!

Amanda acosta

redação@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política