STF nega libertação de Cunha, mas nos bastidores articulação prossegue

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) continuam discutindo em caráter reservado a possibilidade de soltar o ex-deputado Eduardo Cunha. A revelação é da coluna ‘Poder’ do jornal Folha de S.Paulo, nesta sexta-feira (17).


Segundo a ‘Folha’, confirmando o que o Jornal da Cidade Online já havia divulgado (veja aqui), ministros se movimentam deliberadamente em favor do ex-deputado.

‘No STF, as articulações a favor de Cunha tomaram corpo ainda no ano passado, quando Teori Zavascki era o relator das investigações. Segundo pelo menos três ministros do Supremo, Teori se incomodou ao receber alerta de que havia movimentações na Segunda Turma do STF, responsável por julgar os casos da Lava Jato, no sentido de relaxar a prisão do ex-deputado’, diz a matéria.

Aliás, a própria ‘Folha’ ainda esclarece que Teori, pressentindo a movimentação, ‘disse que fora alertado do risco de soltarem o peemedebista. Diante disso havia decidido tirar do colegiado a reclamação protocolada pela defesa com pedido para soltar o ex-deputado, e enviá-la para o plenário’.

A preocupação desse grupo pró-liberação de Cunha seria uma eventual delação, pois ‘poderia afetar ainda mais a estabilidade do país’.

Ou seja, na visão dos togados, proteger corruptos mantém a estabilidade da nação.

A luta contra a corrupção e os corruptos é árdua.

Veja neste link a reportagem da Folha.

da Redação

da Redação

Comentários

Mais em Direito e Justiça