Globo vai sair no encalço de racistas. Crime contra Majú não ficará impune

A apresentadora Maria Júlia Coutinho foi alvo de uma série de comentários racistas, na página do Jornal Nacional no Facebook, que repercutiram na manhã desta sexta (3). 

"Só foi ela chegar que o tempo ficou seco igualmente a um carvão em cinzas", "Ela já nasceu de luto", foram alguns dos absurdos escritos pelos seguidores da fanpage.

Não demorou muito para que milhares de pessoas se manifestassem a favor de Maju, como é conhecida, e pedissem para que o perfil dos agressores fossem denunciados.

Editor-chefe e apresentador do Jornal Nacional, William Bonner aproveitou então para elogiar Maria Júlia em seu perfil do Instagram, que tem quase 1 milhão de seguidores. "O tio aprendeu que a gente deve dizer que o tempo 'é firme', quando não tem chuva, nem chuvica, nem chuvona. Mas, no JN, o tempo é sempre bom, com você", escreveu na legenda de uma montagem de fotos de Maju.

William Bonner afirmou durante o "Jornal Nacional" desta sexta-feira (3) que a Globo vai "tomar medidas cabíveis" contra internautas que fizeram comentários racistas direcionados à jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, na página oficial do telejornal no Facebook. A repórter foi alvo de comentários discriminatórios e ganhou o apoio da equipe do "JN" e de muitos famosos nas rede sociais.

Após chamar a moça do tempo para falar sobre o clima, o editor-chefe disse, com veemência, que o caso não ficará impune. "Hoje, a página do Jornal Nacional no Facebook recebeu comentários de uns cinquenta criminosos sobre Maria Julia. Que os criminosos sejam punidos. A Globo está estudando as medidas judiciais cabíveis ", disse o jornalista. O Ministério Público do Rio de Janeiro e de São Paulo também instaurou inquérito para apurar os crimes de injúria qualificada e racismo.

Durante o telejornal, a repórter, que tem ganhado destaque e já recebeu elogios de Bonner e Renata Vasconcellos, também falou sobre os comentários racistas. "Muita gente pensou que eu estava nos corredores chorando pelos cantos, mas já lido com esta questão há muito tempo. Cresci em uma família militante e não perco o ânimo", disse Maju. "Agora, eu quero me manifestar sobre ter recebido as milhares de mensagens, de emails. A militância que eu faço é com o meu trabalho, sendo competente", disse, concluindo em seguida: "Os preconceituosos ladram, mas a Majuzinha passa". 

Bonner e Renata concluíram o assunto relembrando a frase "Todos somos Maju" que virou um dos assuntos em destaque no Twitter.

da Redação

Comentários