Zanin, o abobalhado, foi peça chave para que conduta ilícita de Lula fosse revelada (veja o vídeo)

A expressão popular ‘quem fala demais dá bom dia a cavalo’ prevaleceu numa audiência de oitiva de Léo Pinheiro, o ex-presidente da Construtora OAS.

O advogado Cristiano Zanin, um sujeito que abraçou a causa como militante e nas audiências sempre exasperou ‘ódio’ contra o Juiz Sérgio Moro, mormente sendo indelicado e deselegante, foi traído pelo seu excessivo número de indagações impróprias.

Disposto a mostrar serviço, o advogado de Lula disparou perguntas, repetiu questionamentos e se perdeu em sua própria ignorância.

Naquele dia fatídico, mais uma vez falou demais e conseguiu arrancar de Léo Pinheiro a revelação de que Lula mandou que destruísse provas. Uma clara obstrução à Justiça.

Moro, educado e inteligente, pegou o gancho, reinquiriu o empreiteiro e conseguiu um argumento substancial que certamente irá abastecer um eventual decreto de prisão do criminoso, que caso não seja seja efetuado pelo TRF-4, será pelo próprio Moro quando condenar o petista pela segunda vez.

Valeu Zanin!

Veja o vídeo:




da Redação

Comentários

Mais em Direito e Justiça