Joesley Batista poderá ser preso por crimes não contemplados na delação

Os benefícios concedidos ao empresário Joesley Batista estão causando um enorme desconforto entre os membros do Judiciário.


O fato é que a delação premiada negociada pelo Procurador-Geral da República Rodrigo Janot e homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, foi extremamente benevolente, principalmente se comparada aos termos das delações negociadas na República de Curitiba.

Diante disso e da impossibilidade já sacramentada de revisão dos termos da delação, sob pena de enfraquecimento do instituto, corre de maneira velada entre membros do Judiciário a possibilidade de uma rápida condenação do empresário em inúmeros processos que se arrastam contra ele em diferentes comarcas do Brasil, em ações diversas das que motivaram o acordo com o MPF.

São crimes de menor gravidade, em processos de outras áreas, principalmente na questão ambiental, mas com potencial suficiente para leva-lo à prisão, o que garantiria uma satisfação à sociedade, bastante indignada com a absoluta impunidade oferecida ao delator.

A jornalista Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, alerta que tal possibilidade tem amedrontado o empresário Joesley Batista.

O fato é que o caso causou extrema perplexidade no STF.

Se algo precisa ser feito, parece que a saída foi encontrada.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça