Por que os meios de comunicação 'demonizam' as nossas polícias?

Por que a imprensa brasileira tenta desmoralizar e desacreditar as nossas forças policiais?

Eu, como cidadão brasileiro e telespectador, gostaria de entender a lógica que rege uma abordagem distorcida e maliciosa de eventos violentos que envolvam as nossas polícias, principalmente a militar, pelos meios de comunicação de massa brasileiros.

É nítido o preconceito e abordagem tendenciosa com que relatam e narram os fatos, colocando os militares sempre como suspeitos.

Não importa se era traficante, assassino, pistoleiro, invasor de terra, ou terrorista arruaceiro travestido de estudante, morreu ou se machucou em um confronto com as nossas forças de segurança, a culpa, até segunda ordem, é sempre dos ‘agressivos e malvados policiais’.

Gostaria que o mesmo sentimento de indignação fosse colocado em prática  quando um policial fosse ferido ou morto em ação defendendo a nossa sociedade.

Estatísticas mostram que na metade do mês de maio do ano de 2017, 153 policiais foram baleados – sendo que 65 não resistiram aos ferimentos e morreram (147 eram Policiais Militares, 4 eram Policiais Civis  e 3 eram agentes da Polícia Rodoviária Federal).

Chega a ser revoltante a forma tendenciosa como os repórteres montam as suas matérias.

Recentemente, a rede Globo de Televisão, em seu programa Fantástico, entrevistou o estudante de ciências sociais Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, que ao participar de um protesto violento contra o governo Temer, em Goiânia, no final do mês abril, recebeu um golpe de cassetete em sua cabeça, desferido por um oficial que comandava a tropa, culminando em um traumatismo crânio-encefálico e o afastamento do PM das ruas da cidade.

Foi uma reportagem maliciosa que induzia os telespectadores a acreditar que o jovem era uma vítima inocente de um policial militar malvado e cruel.

Será que era essa a verdadeira realidade dos fatos?

Depredar patrimônio público e privado, atirar pedras, paus e foguetes contra policiais em serviço são atitudes de um cidadão ordeiro e honesto?

Por que a polícia não é vista como inimiga nas manifestações que defendem as cores verde e amarela?

Por que a Rede Globo de Televisão e a Record não entrevistam o jovem universitário Vitor Rodrigues Fregulia, de 21 anos, que é estudante de física em uma universidade do sul do país, que ao atirar um foguete em direção aos policiais em Brasília, teve 3 dedos de sua mão direita amputados?

Será que só quando o foguete atinge, fere e mata um trabalhador utilizando um uniforme de jornalista e carregando uma câmera, a imprensa se condoi?

Está tudo errado. Não podemos aceitar passivamente a doutrinação que a imprensa tenta nos impor. Precisamos ficar atentos e analisar criticamente toda e qualquer informação que chega até nós.

Para finalizar, gostaria de divulgar um texto, que está sendo divulgado nas redes sociais,  e que demonstra a indignação de muitos cidadãos brasileiros honestos, militares e civis, com essa postura anti ética e maliciosa dos meios de comunicação :

"Carta a Rede Globo:

Vcs acabaram de veicular na novela malhação, uma cena onde um ator caracterizado de Policial Militar de SP, trata com grosseria, de forma arbitrária, desrespeitosa, abusiva e preconceituosa, o que caracteriza CRIME de RACISMO, uma jovem de decendencia Oriental, a tratando de "JAPINHA" e um jovem Afrodecendente de "NEGRINHO"...

É essa a imagem que vcs formam na mente dos nossos jovens, em relação a todo EFETIVO DA PM PAULISTA???

É essa a intenção, a de DESTRUIR com os Homens e Mulheres, que todo dia deixam suas famílias em casa, e oferecem suas vidas para defender pessoas que nem conhecem?

Lembrem, vcs estão defecando em cima dos cadáveres de todos aqueles que morreram servindo a Sociedade Paulista, isso não tem vocábulo no DICIONÁRIO para exprimir o NOJO QUE SINTO DE VCS...

SubTen Reginaldo

PM de SP..."

A quem interessa a desmoralização, o desarmamento e/ou extinção da Polícia Militar em todo o Brasil?

Lembram do que aconteceu no ES com a greve da PM?

Não se esqueçam também de olhar para a nossa vizinha Venezuela  (povo completamente desarmado + Polícia Política muito bem aparelhada (Força Nacional) = Ditadura).

Fica o alerta.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

É médico anestesista, formado pela Universidade Federal do Espírito Santo, professor do curso de medicina do ITPAC TO, preceptor de residência médica de anestesia MEC/ITPAC.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Opinião

loading...