assinante_desktop_cabecalho

Mantega negocia delação e é ‘chave de cadeia’ para Dilma Rousseff

Ler na área do assinante

Guido Mantega só não está preso porque foi salvo por um problema grave de saúde ocorrido com sua esposa, justamente no dia reservado para a sua prisão.

Na época, em plena campanha eleitoral de 2016, Lula ainda tentou se aproveitar da situação e criar um fato político para tentar reverter a imensa onda anti-PT verificada nas urnas. Não conseguiu.

De qualquer forma, o ex-ministro chegou a receber a ordem de prisão, mas foi salvo por um novo despacho do Juiz Sérgio Moro, considerando a situação de enfermidade da esposa do meliante.

Todavia, de lá pra cá, Mantega não tem tido sossego e a recuperação de sua esposa tem sido motivo de suspeitar que a qualquer momento um novo mandado de prisão poderá ser expedido, notadamente depois da delação dos irmãos Batista e do célere andamento da delação de Antonio Palocci.

Assim, diante do quadro, reportagem da Revista Época informa que o ex-ministro resolveu se antecipar e partir para a sua própria delação premiada, uma verdadeira ‘chave de cadeia’ para a ex-presidente Dilma Rousseff, da mesma forma que a delação de Palocci implica crucialmente o ex-presidente Lula.

‘Mantega já mandou sua oferta inicial aos procuradores. Ainda está fechando com qual advogado tocará a delação. Por isso, as negociações estão no início. Os procuradores ainda não definiram se é o momento de aceitar a delação. Seja como for, esperam muito mais provas do que as já oferecidas por Mantega. Estão interessados em casos novos, especialmente envolvendo crimes no sistema financeiro – objeto da delação de Palocci – com uso de informações privilegiadas da equipe econômica petista’, informa a ‘Época’.

‘A pré-delação de Mantega, no entanto, depende do andamento da delação de Palocci. Ambas se completam. Palocci pega Lula; Mantega pega Dilma. Os dois foram, em tempos diferentes, os principais operadores das grandes propinas do PT, seja no petrolão, seja no setor financeiro, seja nos bancos públicos’, arremata a reportagem.

da Redação

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar