Moro constata deslavada mentira de Zanin

Nesta segunda-feira (5), o advogado Cristiano Zanin ingressou com habeas corpus na tentativa de impedir que Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar depusessem ao juiz Sérgio Moro.


A alegação do defensor do ex-presidente Lula é de que teria sido surpreendido com a inclusão de vídeos da delação da Odebrecht nos autos, sem que ele tivesse tempo hábil para analisar. Zanin informou no HC que só ficou sabendo dos tais vídeos há poucas horas antes da audiência.

Diante disso, como os depoimentos já haviam sido prestados, o TRF da 4ª região determinou uma nova oitiva de Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar.

Todavia, logo após receber a comunicação do tribunal, o juiz Sérgio Moro constatou que Zanin estava mentindo e já informou o TRF.

‘Apesar da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva não ter aberto a intimação eletrônica, consta, nos registros eletrônicos, que o advogado Cristiano Zanin Martins acessou o processo e ainda especificamente os depoimentos extrajudiciais de Alexandrino de Salles Ramos Alencar e de Emílio Alves Odebrecht ainda em 31/05/2017, por diversas vezes, e novamente, por diversas vezes, no dia 01/06/2017.

“Assim, salvo melhor explicação por parte da Defesa, não aparenta corresponder à realidade a afirmação do advogado Cristiano Zanin Martins de que foi surpreendido na audiência de 05/06/2017, já que os registros eletrônicos do sistema informam que teve acesso à prova com relativa antecedência, em 31/05/2017 e 01/06/2017. Salvo melhor explicação, os fatos afirmados na impetração pelos advogados, de que a Defesa teria sido surpreendida em 05/06/2017, não são lamentavelmente verdadeiros.”

Sem dúvida, uma situação desmoralizante para o sujeito que defende Lula.

da Redação

Veja o registro de acessos de Zanin

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça