Por mandato, Temer separa o joio do trigo e fica com o ‘joio’

Para alimentar a bandidagem, que julga ser capaz de mantê-lo no cargo, o presidente Michel Temer está literalmente excluindo do governo a parte boa, as pessoas honestas.


Poucas, é bem verdade, mas que de alguma forma representavam algum tipo de risco para as traquinagens que precisam ser feitas no sentido de agradar os seu apoiadores, todos eles sedentos por algum tipo de vantagem indevida.

Maria Sílvia Bastos Marques desenvolvia um trabalho formidável no combalido BNDES, visando recuperar a imagem da instituição e acabar com os favorecimentos aos conglomerados econômicos, como a JBS e as grandes empreiteiras.

Com isso não satisfazia a bandidagem. Teve que sair. Em seu lugar Paulo Rabello de Castro, o sogro de Bruno Luz, ora recolhido na ‘República de Curitiba’.

Até o final de junho, segundo vem sendo noticiado, Michel Temer pretende trocar toda a cúpula da Polícia Federal.

Assim, imagina que poderá golpear a Operação Lava Jato e manter todos os seus comparsas incólumes.

Outros passos indevidos estão sendo dados, mas uma coisa é certa, a luta é árdua e está aberta, toda a classe política e todos os partidos querem torpedear a Lava Jato.

Amanda Acosta

amanda@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política