A culpa é do mordomo...

Agora tudo faz sentido.

Lula era só um laranja.

Dilma, uma presidenta de fachada.

O golpe (sim, foi golpe) se deu quando Temer, o chefe da facção, resolveu romper o acordo, sair das sombras e tomar o poder das mãos dos intermediários.

Aécio não passou de um boi de piranha.

Cunha, de um marionete.

Moro, de um inocente útil.

E a gente fazendo vudu do Toffoli, do Gilmar, do Lewandowski.

E a gente vomitando com os discursos do Zéduardo Cardozo.

E a gente botando camisa da CBF no domingo.

Sabe-se agora que foi Temer quem inventou a tomada de três pinos e o selfie no espelho da academia.

Que é o Temer quem banca os anúncios da Trivago a cada 15 segundos na tv a cabo.

Foi o Temer quem convenceu o Trump a usar o mesmo bronzeador da Vera Fischer.

É o Temer quem obriga o Paulo Gustavo a se vestir de mulher 90% do tempo - e o Fábio Porchat a só fazer papel de bicha nos vídeos do Porta dos Fundos.

Foi o Temer quem fez o Rio de Janeiro ter que escolher entre Freixo e Crivella.

O Temer quem escalou Fiuk para galã da novela das nove.

Quem matou os pintinhos de Atibaia? Temer.

Quem projetou a fachada daquele 'tripléques' do Guarujá? Temer.

Quem indicou o cirurgião que fez o nariz da Gleisi Hoffman? Temer.

Quem escolhe a roupa e o repertório da Marília Mendonça? Temer.

Temer.

Temer.

Temer é o nosso Rasputin, o nosso Richelieu, o nosso Golbery, o nosso Keyser Söze.

Um mix de Dr. Jeckyll, Cuca, Mefisto, Voldemort e Susana Vieira.

Matou Celso Daniel. 

Escondeu Elisa Samúdio.

Convocou o Dunga.

Chamou o Bessias.

Podem parar a Lava Jato, soltar o Cabral e indenizar o Odebrecht, que a culpa é do mordomo.

Eduardo Affonso

Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Comentários

Leia mais...