Moro esclarece TRF que Vaccari não roubava em proveito próprio. Roubava para o PT

O ponto crucial da absolvição de João Vaccari Neto, em um dos inúmeros processos que tem contra si, é de que não foram encontradas provas de enriquecimento pessoal.


Nesta quinta-feira (6) o juiz Sérgio Moro esclareceu o desembargador João Gebran Neto, relator da Lava Jato no Tribunal Regional de Recursos da 4ª Região (TRF-4), que o meliante na realidade roubava para o partido, para o PT.

De acordo com a manifestação do magistrado, há provas de que os valores desviados eram carreados para o PT.

'Descabe exigir prova material do que aparentemente não ocorreu, o enriquecimento pessoal', disse o juiz.

‘Era ele (Vaccari) o principal arrecadador de vantagens indevidas junto às empresas fornecedoras da Petrobras para a campanha do Partido dos Trabalhadores’, esclareceu Sérgio Moro.

Ao final, Moro ainda explica que o ex-tesoureiro tem mais quatro condenações e outros três processos em andamento, devendo ser mantido preso.

O silêncio sepulcral de Vaccari denota que é realmente um ‘soldado’ do partido, um verdadeiro ‘guerreiro’, do mal.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça