Trump reverte decisão e permite a entrada de meninas afegãs para competição de robótica nos EUA


Sob as acusações infantis de xenofobia e misoginia, o presidente americano, Donald Trump golpeou com maestria os acusadores quarta-feira, 12.

Trump trabalhou em conjunto com sua conselheira para segurança nacional, Dina Powell, para reverter uma decisão do Departamento de Estado que impedia a entrada de um grupo de mulheres afegãs para atender a uma competição internacional de robótica.

Os vistos já haviam sido negados por duas vezes pelo Departamento de Estado, o que levantou críticas e repercutiu nas redes sociais. Ao saber do acontecido, o presidente interveio e convocou os oficiais do Conselho de Segurança Nacional, levando o Departamento de Segurança Interna a permitir a estadias do grupo nos Estados Unidos por dez dias.

Para solicitar os vistos na embaixada americana no Afeganistão, as meninas precisaram fazer duas caminhadas de Herat até a capital Cabul, um percurso considerado de altíssimo risco em função da presença do Talibã na região.

A meninas escreveram na página do seu time:

“A maioria dos avanços na ciência, tecnologia e outras indústrias normalmente começam com o sonho de uma criança fazer algo excelente. Queremos ser essa criança e perseguir nossos sonhos para fazer a diferença na vida das pessoas.“

Powell agradeceu os órgãos envolvidos e saudou o grupo:

“O Departamento de Estado trabalhou incrivelmente bem com o Departamento de Segurança Interna para garantir que este caso fosse revisado e tratado adequadamente. Não poderíamos estar mais orgulhosos desta delegação de mulheres jovens que também são cientistas - elas representam o melhor dos afegãos e encarnam a promessa de que suas aspirações podem ser alcançadas. Elas são futuras líderes do Afeganistão e fortes embaixadoras do seu país.”


da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Internacional