A conta que não bate

Considerando que Lula quando foi eleito deputado federal em 1986 declarou à Justiça Eleitoral que não possuía nenhum valor acumulado a título de poupança, previdência ou qualquer coisa do gênero, e de lá pra cá se passaram exatos 30 anos, nem o mais gabaritado contorcionista poderia explicar o patrimônio milionário já encontrado em nome do petista.


São três apartamentos, dois veículos, R$ 600 mil em dinheiro nas suas contas correntes e R$ 9 milhões em dois planos de previdência.

A leitora Betty Silva do Jornal da Cidade Online teve o cuidado de fazer a conta.

'O salário atual de um presidente da República é R$ 26,7 mil. Para juntar R$ 9 milhões, o indivíduo precisa poupar 100% do salário, sem pagar impostos, ao longo de 28 anos.'

'Por outro lado, para juntar esta quantia no período em que foi presidente, deveria contribuir mensalmente com R$ 93.750,00, ao longo dos oito anos de mandato', lembrando que o salário do presidente, como já dito, é de R$ 26,7 mil.

Assim, conclui acertadamente a leitora, 'com base no salário de presidente da República, é impossível a um indivíduo ficar multimilionário durante dois mandatos'.

Na conta, evidentemente, não entram o tríplex do Guarujá, o sítio de Atibaia, o patrimônio e aplicações financeiras em nome de Marisa Letícia e inúmeros outros bens que supostamente seriam de Lula e estariam em nome de 'laranjas'.

Também não entra a extraordinária riqueza adquirida pelos filhos e outros familiares do ex-presidente, inclusive o enigmático sobrinho Taiguara.

E nesta quinta-feira (20) durante o fracassado comício petista na Avenida Paulista, Lula declarou: ‘Se o Ministério Público e o juiz Moro tiverem uma prova de que eu desviei cinco centavos, apresentem e me desmoralizem e me prendam’.

É efetivamente um grande cara de pau.

Otto Dantas

otto@jornaldacidadeonline.com.br

da Redação

Comentários

Mais em Política