Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Se a esquerda voltar ao poder nos transformaremos em uma nova Venezuela

A máscara caiu. O desespero dos partidos de esquerda brasileiros fez com que seus dirigentes fossem obrigados a assumirem sua verdadeira intenção: implantar um sistema socialista no Brasil semelhante ao praticado em Cuba e Venezuela. 

Chega a ser assustador verificar que líderes de partidos como o PT, PSOL, PC do B e PDT assumem publicamente o seu apoio a política genocida, antidemocrática e despótica do ditador venezuelano Nicolas Maduro.

A própria imprensa brasileira faz uma cobertura medíocre do que está realmente acontecendo com o pobre povo venezuelano, visto que, uma maior conscientização do povo brasileiro de como realmente funciona a "democracia socialista" poderia atrapalhar os planos de domínio ideológico de nossa nação.

Prisões arbitrárias, torturas, assassinatos de cidadãos indefesos pela polícia política socialista e por grupos civis armados pelo próprio estado (os coletivos), total domínio da imprensa e dos meios de comunicação, aparelhamento do judiciário e das FFAA, tentativa de reformularem as leis e a Constituição do país na esperança de eternizar o ditador no poder, prisão de juízes e políticos que não se ajoelham frente aos interesses do socialismo bolivariano, são apenas alguns exemplos de atitudes antidemocráticas praticadas naquele país e apoiado por muitos políticos brasileiros.

Saber o que acontece na Venezuela é muito importante sim para o Brasil. A Venezuela está colocando em prática o manual de dominação prescrito por Cuba. Esta receita de dominação está sendo seguida à risca.

Caso a ditadura comunista  bolivariana vença a democracia venezuelana, a América do Sul continuará em risco de se transformar em um continente vermelho.

Se aliado à esta tragédia houver a retomada do poder pela esquerda brasileira que hoje apoia as medidas autoritárias de Maduro, não ficará difícil prever o futuro de nossa nação verde e amarela.

Em nome da liberdade democrática de nosso país e pela felicidade de nossos filhos e de nossos netos, não podemos de forma alguma  ignorar este grave perigo por que estamos passando.

Chamar de "Teoria da Conspiração", na tentativa de desqualificar as pessoas que enxergam, denunciam e lutam contra estes indivíduos que querem transformar-nos em uma franquia cubana, já não "cola", bastando verificar a veracidade do massacre venezuelano nas redes sociais.

Que Deus abra os olhos dos inocentes e dos descrentes brasileiros.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

O autor é médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas