A sátira de Michel e seus deputados descartáveis

- Seu Michel, acabou o papel.


- Use um daqueles deputados que eu comprei semana passada. Comprei várias dúzias, não creio que você tê-los-á usado todos.

- O PMDB arranha muito, o Michelzinho tá todo assado.

- Use outro deputado qualquer da base aliada. Os do PSDB são mais macios.

- Acabou o leite também, seu Michel.

- Teta é o que não falta nesta casa. Dê uma olhada na prateleira de cima. Tinha um do PRB lá.

- Revirei tudo, seu Michel. Achei um deputado do PTB, dois do PR e um punhado do DEM. Mas leite que é bom, nada.

- Veja na porta do canto, lá no fundo. Eu tenho certeza que no carrinho tinha vários deputados do PP.

- O material escolar também tá no fim. Michelzinho tá usando o cotoco do lápis, já. Mais uma lição e acaba.

- Marineide, eu estou tentando me concentrar em coisas importantes, como um novo loteamento, e você vem me falar dessas irrelevâncias?

- O xarope pra tosse também já era...

- Dê um parlamentar do PTC de seis em seis horas.

- Ah, o moço da Light esteve aí mais cedo, e disse que ia cortar a luz por falta de pagamento.

- Você é uma inútil, Marineide. Não viu que tinha um deputado do PSB, em cima do microondas, justamente para essas pequenas despesas?

- A conta de luz é altíssima, seu Michel.

- A pequena despesa a que me refiro é o agrado pro moço da concessionária, Marineide, não pro pagamento a conta. Com um deputado por semana a gente vai empurrando esse corte até 2018.

- Ah, e dona Marcela mandou dizer que estava voltando pra casa da mãe dela.

- Quando foi isso?

- Gorinha mesmo. Pegou as roupas, a escova de dentes, os escarpã, catou um deputado que estava na mesinha de cabeceira e...

- Esses deputados custaram uma fortuna! Qual ela levou?

- Sei lá, seu Michel, do SD, PSD, PMN, base aliada, pra mim, é tudo igual...

- Mas era um mais cheínho, com meu nome tatuado no ombro?

- Não, senhor. Esse continua lá no alpendre, do lado da samambaia.

- Ufa! Não que os outros não valham nada, mas esse tem valor sentimental.

- Ah, e não tem nada pra janta.

- Faça um deputado ao ponto. Mais pra mal do que pra bem.

- Não prometo nada, seu Michel. Carne de segunda a gente faz o que dá pra fazer, não tem como garantir a receita.

Eduardo Affonso

Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Eduardo Affonso

Comentários

Notícias relacionadas