A suposta conversa havida entre Michel e Raquel

- Por que não, Raquel?


- Porque manter relações institucionais, tarde da noite, na sua casa, sei não.

- A Marcela já está dormindo.

- Mesmo assim, Michel. Não sou uma procuradora de encrenca...

- Mas você sabe que eu prefiro essas conversas nas sombras. Coisas às claras me incomodam. É aquele meu velho problema com alho, crucifixo, luz do sol...

- E eu tinha mesmo que passar pelo detector de metais, pelo raio X, pelo escâner corporal e por uma revista íntima?

- Não é nada pessoal, Raquel. É um trauma que eu tenho, e que ficou bem gravado aqui.

- De qualquer maneira, Michel, você vai entender se eu não te procurar, não é?

- Claro que vou. E não dê ouvidos ao que disserem a meu respeito. É gente que gosta de investigar a vida alheia.

- Pode deixar. São mesmo uns malas.

- Ótimo. Agora eu preciso que você vá embora, sem fazer barulho, pelos fundos.

- A Marcela acordou?

- Não, é que já passa da meia-noite, e o Gilmar pode chegar a qualquer momento.

Eduardo Affonso

Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Eduardo Affonso

Comentários

Notícias relacionadas