Futuro ministro do TSE é funcionário da empresa de Gilmar Mendes

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Corte máxima da Justiça Eleitoral no Brasil, atualmente presidido pelo ministro Gilmar Mendes, é composto por sete ministros efetivos e mais sete substitutos.

Duas das vagas, tanto para efetivos, quanto para ministros substitutos, são feitas mediante a escolha do presidente da República, que recebe uma lista tríplice apresentada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), composta por advogados de ‘notável saber jurídico’.

O advogado Tarcisio Vieira de Carvalho, que era ministro substituto, em maio de 2017 tomou posse na condição de ministro efetivo, abrindo, em consequência, uma vaga para o posto que ocupava.

Nesse sentido, o próprio Gilmar Mendes, na quarta-feira (16) levou no 'bolso do colete' uma lista pronta e impôs para apreciação dos demais ministros do STF.

Carlos Bastide Horbach, Marilda de Paula Silveira e Fábio Lima Quintas compõem a lista de Gilmar.

Os três são professores do IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público), empresa da qual Gilmar Mendes é o proprietário.

No próprio site do IDP consta Horbach e Silveira como professores de direito eleitoral, e Quintas como professor do mestrado em direito constitucional.

Sem problemas e maiores questionamentos, o STF referendou a ‘lista de Gilmar’, que será encaminhada para a escolha do presidente Michel Temer.

Diante disso, uma coisa é certa: o próximo ministro do TSE será um funcionário de Gilmar.

Gilmar Mendes é insuperável.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...