Suspeição de Gilmar para julgar Jacob Barata é flagrante

O ministro Gilmar Mendes é amigo intimo do empresário Jacob Barata Filho.


Ambos gozavam de estreito relacionamento, a ponto do ministro ter sido padrinho de casamento da filha do empresário (veja a foto que ilustra a matéria).

A suspeição no caso chega a ser ainda mais evidente do que aquela havida no processo em que o réu era o empresário Eike Batista, denunciada por este Jornal da Cidade Online.

Como autora de uma das matérias, enfrento um processo movido pelo ministro (veja aqui). É o ônus do ofício.

O fato é que nesse novo caso, parece claro que o julgador não tem a necessária isenção para julgar um amigo intimo.


A relação existente entre Jacob e Gilmar é muito forte. Relações estreitas e carinho extremo. São amicíssimos, estendendo-se a amizade entre as famílias de ambos.

O que se espera da magistratura é ética e absoluta isenção, situações absolutamente comprometidas num processo em que a parte e o juiz mantêm um laço de convivência de notória intimidade. 

É mais um caso gravíssimo que depõe contra o STF, cujo protagonista é o ministro Gilmar Mendes.

Felizmente, a ação de Gilmar foi inglória, pois Barata continuará preso.

Vamos ficar atentos, de olho nos próximos passos do amigo de Barata.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas