Cientistas-médicos morrem ou desaparecem misteriosamente após novas descobertas sobre a cura do Câncer

Assustadoramente, a história da ciência médica está repleta de ‘mortes misteriosas’.


Em tempos recentes, pelo menos cinco médicos foram mortos misteriosamente, outros dois foram comprovadamente assassinados e outros cinco estão desaparecidos em circunstâncias inexplicáveis.

Todos esses médicos tinham uma particularidade, eram pesquisadores que buscavam encontrar a cura do Câncer. Há quem diga que desapareceram porque na realidade pretendiam divulgar a cura da doença, já descoberta há muito tempo.

Jeff Bradstreet, um dos médicos que estudavam o assunto, foi encontrado flutuando com um tiro no peito num rio da Carolina do Norte.
As autoridades policiais que investigaram o caso concluíram que o médico se ‘suicidou’.


Ele trabalhava no estudo de uma molécula chamada GcMAF, ainda pouco conhecida, mas potencialmente promissora para curar o câncer e também para o tratamento de aids e autismo.

Os demais médicos desaparecidos, assassinados ou mortos em condições misteriosas, tinham profundos conhecimentos sobre uma proteína denominada nagalase.

Essa proteína, estaria presente em inúmeras vacinas consideradas seguras para uso em seres humanos.

No entanto, a nagalase impede que o corpo produza vitamina D.

A vitamina D é um nutriente muito importante para matar as células cancerosas naturalmente.

Todo o tipo de célula cancerosa produz essa proteína.

Ou seja, uma vacina ao ser administrada no ser-humano contendo a proteína nagalase, desativa o sistema imunitário.

Os médicos desaparecidos tinham informações de que as vacinas que estão sendo injetadas são, na verdade, a causa do súbito aumento nas taxas de Câncer.

Os médicos que foram mortos ou desapareceram na Flórida (EUA) faziam um trabalho em conjunto e estavam se preparando para ir a público para divulgar o resultado de suas pesquisas.

Ted Broer foi um dos médicos mortos. Pouco antes de morrer, ele concedeu uma entrevista a um programa de rádio.

Ele chegou a dizer, na entrevista, a seguinte frase:

 ‘Eu estou me suicidando repassando essas informações’.

Fica óbvio que algo foi planejado para impedir que esses médicos revelassem as tais descobertas para o mundo.

da Redação

Comentários

Mais em Saúde