O discurso vazio e incoerente que não convence mais ninguém

Pregam a democracia, mas defendem o ditador venezuelano Maduro, exigem tolerância, mas advogam pela eliminação sumária de quem ousa pensar diferente, dizem defender os direitos das mulheres, gays, travestis e transexuais, mas se calam frente aos abusos praticados pelos mulçumanos que os perseguem.

Onde está a coerência desses cidadãos?

É fácil encher o peito e chamar quem discorda de suas maluquices, de fascistas.

Foi essa a reação de Mônica Waldvogel, Marcelo Tas, Luciana Genro e Manuela D'Ávila, ao saber da suspensão da Exposição que estava sendo realizada no Santander Cultural, em Porto Alegre, após protestos de vários cidadãos pelas redes sociais.

Esta exposição desrespeitava a fé cristã além de fazer apologia à pedofilia, à zoofilia e à homossexualidade infantil, dentre outras atrocidades.

Por que afrontar desta forma a sociedade tradicional? Quem teria interesse nesse projeto macabro?

O filósofo comunista italiano Antônio Gramsci já propunha a destruição da "família burguesa" como forma de abalar um dos pilares que sustenta a sociedade capitalista, ficando mais fácil assim, implantar o comunismo.

Vejam o que postou o internauta  Vitorelli no fórum Anti Nova Ordem Mundial, sob o título:

A DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA COMO ARMA DE CONQUISTA.

"O que a maioria das pessoas teima em não observar é que quanto mais desestabilizada estiver uma sociedade, maiores as chances de uma dominação triunfar. E quanto menos união familiar houver, maiores as chances de um governo assumir a educação e direcionar o pensamento dos cidadãos de forma condicionada, como no livro 1984, de George Orwell, onde o indivíduo é criado pelo estado. A família serve apenas para procriação."
Parece ser esse o objetivo daqueles que ainda tentam implantar o socialismo em nosso país.

Felizmente, a nossa sociedade está despertando deste transe profundo e começa a revidar de forma dura e eficaz aos ataques que vem sofrendo.

O que antes era chamado de Teoria da Conspiração, agora é encarado como a mais pura e triste realidade.

O episódio da suspensão da exposição do Santander Cultural, é um claro sinal, de que a sociedade está atenta e menos tolerante a este tipo de abuso.

Ainda existe esperança para os que sonham com um país melhor.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas