As duas visões antagônicas sobre a nova denúncia contra Michel Temer

Sobre a segunda denúncia da Procuradoria Geral da República (não é do Rodrigo Janot; é da instituição!) contra o presidente Michel Temer e o quadrilhão do PMDB, na era do ‘é melhor ter opinião do que conhecimento’, há duas ‘visões’ à venda na mídia, quais sejam:

1. A segunda denúncia apresentada pela PGR é maior e melhor do que a primeira, é robusta, reúne forte arcabouço probatório, há dezenas de testemunhas arroladas e consegue selar todas as brechas jurídicas, como deve ser uma denúncia do Ministério Público Federal - MPF. Só não vingará porque a decisão sobre seu prosseguimento, neste momento, é Política, na Câmara dos Deputados.

Esta é a leitura dos fatos apresentada no programa GloboNews ‘Painel’ pelos JURISTAS:

- Dr. Guilherme Nucci, desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo e professor de Direito da PUC - SP;

- Dr. Oscar Vilhena, professor-diretor do curso de Direito da Fundação Getúlio Vargas - FGV.

2. A denúncia de Janot é fraca, fragmentada demais, baseada apenas em delações, parece coisa de exibicionista, destrói a biografia do procurador-geral em sua saída da PGR e não tem condições jurídicas de prosperar, flecha de bambu podre, etc.

Esta é a leitura apresentada pelas JORNALISTAS:

- Vera Magalhães, em sua coluna no Estadão;

- Monica Bergamo, em sua coluna na Folha de S.Paulo.

Diga-me, caríssimo(a) leitor(a), em qual das duas ‘visões’ você depositará sua preciosa confiança?

#oBRASILprecisadeQUIMIOTERAPIA

Segue o enterro...

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Helder Caldeira

Comentários

Notícias relacionadas