Rock in Rio 2017: Querem salvar a Amazônia, mas não juntam o próprio lixo

* Esta matéria foi atualizada e contém informações adicionais ao final

O Rock in Rio 2017 se propôs, entre outras coisas, a ser um espaço em defesa da Amazônia.

Neste domingo (17) a cantora norte-americana Alicia Keys convidou ao palco a líder indígena e representante da Articulação dos Povos Indígenas no Brasil (Apib), Sonia Guajajara, para falar dos ataques à Amazônia promovidos pelo governo de Michel Temer.

O ‘Fora Temer’ também foi entoado por diversas vezes, notadamente quando a modelo internacional Gisele Bündchen lançou a campanha global Believe, uma proposta com soluções para questões sociais e ambientais.

O drástico é ver que após os shows, a plateia, teoricamente entusiasta e simpatizante da ideia, foi incapaz de juntar o próprio lixo, destoando às completas de qualquer iniciativa voltada para uma proposta de inspiração ambiental.

Lamentável.

ERRATA:

A seguinte foto, que ilustrava esta matéria originalmente, é, na verdade, do Rock in Rio 2011. A capa desta matéria, no entanto, é do Rock in Rio 2017.

Lixo no Rock in Rio 2011
Lixo no Rock in Rio 2011

da Redação

Comentários