PCdoB busca distância do PT e quer Manuela como candidata a presidente

O PT vai se enfraquecer mais ainda para uma eventual disputa presidencial em 2018.

Não terá mais a parceria do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) que deve lançar a candidatura da deputada gaúcha Manuela D’Avila à presidente da República.

Manuela é política profissional. Só fez isso durante toda a vida. Nunca desempenhou qualquer outra atividade remunerada.

Elegeu-se para o seu primeiro mandato, como vereadora de Porto Alegre (RS) em 2004, com apenas 23 anos de idade. Dois anos depois, já era deputada federal.

Em Brasília, ficou conhecida mais pela sua beleza do que pela sua atuação parlamentar. O seu romance com o ex-ministro José Eduardo Cardoso, quase 30 anos mais velho, também foi alvo de inúmeros comentários e matérias da mídia de ‘fofocas’.

Em 2014, foi a deputada estadual mais votada do Rio Grande do Sul, quando obteve 222 mil votos.

Questionada, Manuela mente quando diz que a candidatura própria é uma antiga aspiração do partido. O PCdoB passou a pensar na possibilidade em função da exuberante derrocada do PT. A deputada diz ainda que está à disposição para concorrer à presidência ou ao governo do Rio Grande do Sul.

Em acontecendo, certamente será derrotada. Não tem qualquer chance numa candidatura majoritária.

Terá que amargar a condição de pela primeira vez ficar sem mandato, sem salário de parlamentar e sem as polpudas verbas de representação.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política