Flagrante na equipe de Dodge fortalece Dallagnol, que não cai mais

A nova Procuradora-Geral da República Raquel Dodge indubitavelmente tem um sério problema com a Lava Jato.

Tal fato talvez tenha se fortalecido em função de sua notável animosidade com o ex-PGR Rodrigo Janot.

Vaidosa, Raquel também não se conforma com a notoriedade adquirida pelos procuradores da República de Curitiba, notadamente Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa que atua na Operação Lava Jato.

Diante disso, a intenção de Raquel Dodge, afim de obter para si o controle da operação, era afastar Dallagnol.

O próprio procurador Sérgio Madruga, flagrado numa conversa tratando de assuntos confidenciais da PGR com uma advogada que trabalhou na delação da JBS, havia feito tal revelação, ou seja, que Dodge pretendia ‘controlar’ a Lava Jato.

Felizmente, o tal flagrante em Madruga frustrou a pretensão da nova PGR. Pelo menos, por enquanto.

Dallagnol venceu o primeiro round com a ‘Bruxa’ (tratamento dispensado por Janot a Raquel, conforme revelado pelo procurador Ângelo Goulart Villela).

A Lava Jato não pode ser ‘controlada’.

A sociedade tem que estar atenta.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Mais de Otto Dantas

Comentários